+55 (64) 3661-8026 | Instituto Onça-Pintada (IOP) jaguar@jaguar.org.br

Projeto Desenvolvido pelo IOP

Rio Araguaia – Corredor das Onças

O  Projeto Rio Araguaia – Corredor das Onças, com 3.000 km de extensão, compreende as áreas desde a sua nascente, a junção com o Rio Tocantins até a sua foz, quando deságua no mar. É o terceiro maior rio do Brasil fora da Bacia Amazônica. Suas águas nascem nas divisas dos Estados do Mato Grosso e Goiás, percorrem cinco estados e conectam os dois maiores biomas brasileiros, Cerrado e Amazônia. Conhecido por ser um dos rios mais piscosos do mundo, o Araguaia representa uma importante fonte de economia e lazer para as populações dos estados que o cercam. A boa preservação dos habitats ribeirinhos ao longo de seu percurso, o torna um dos mais importantes e extensos corredores naturais de biodiversidade do Brasil.

A onça-pintada é o maior felino das Américas, com ampla distribuição, desde o Novo México e Arizona, nos EUA, até o norte da Argentina. No Brasil, cerca de 75% de sua distribuição está em terras privadas, que representam 60% do território brasileiro, ao passo que as Unidades de Conservação de Uso Restrito, representam em área, um percentual inferior a 10%. Estas áreas não são grandes o suficiente para garantir a viabilidade genética de suas populações em longo prazo, caso permaneçam isoladas das terras privadas.

Diante deste cenário, este projeto tem como objetivo geral, implementar o Rio Araguaia como um corredor para as onças, a fim de permitir a conectividade das populações entre os dois maiores biomas do Brasil, Cerrado e Amazônia. O sucesso deste projeto garantirá um futuro para as onças-pintadas, regionalmente ameaçadas, pelas paisagens fragmentadas do Brasil Central. Um estudo recente desenvolvido pelo Instituto Onça-Pintada, identificou o Rio Araguaia como o melhor corredor de biodiversidade, em grande escala, fora da bacia amazônica.

As onças-pintadas são predadores topo da cadeia alimentar e sua remoção desses ecossistemas causa impactos negativos e desequilíbrios sobre outras espécies. Uma pesquisa do Instituto Onça-Pintada, constatou que a melhor abordagem para a conservação de onças-pintadas em paisagens fragmentadas, é através da criação de corredores de biodiversidade, que permitem que esses animais de grande porte se movimentem livremente. A manutenção da diversidade genética é fundamental para promover populações saudáveis, viáveis ​​a longo prazo e é uma necessidade para as onças-pintadas no bioma Cerrado do Brasil.

O conceito por trás deste projeto facilitará a sobrevivência de longo prazo das onças-pintadas no Brasil Central, estabelecendo o maior corredor de biodiversidade do país ao longo do rio Araguaia. Esta pesquisa identificará os fatores que afetam a sobrevivência da onça-pintada, bem como obterá informações sobre sua movimentação e o uso do habitat em paisagens  fragmentadas.

Para assegurar o sucesso do projeto, é necessário que haja uma compreensão do “conflito”, como problema crucial para a conservação da onça-pintada e a implementação de soluções é uma das principais prioridades do Instituto Onça-Pintada. Estabelecer e manter uma rede de fazendas que desenvolvam praticas sustentáveis que contribuam para a conservação da onça-pintada é a chave para o desenvolvimento do corredor do Araguaia e garantirá a passagem segura de onças-pintadas. O projeto identificará e desenvolverá as melhores abordagens políticas e de gestão para salvar as onças-pintadas em diferentes cenários paisagísticos. O objetivo final será a criação do Corredor da Onça-pintada do Rio Araguaia e um subsequente plano de gerenciamento e monitoramento para fornecer uma viabilidade a longo prazo das onças-pintadas do Brasil.

Ao longo do desenvolvimento do Projeto, o Rio Araguaia será analisado como um todo e as metas serão implementadas em fases ao longo de um período de 10 anos, utilizando principalmente três metodologias de coleta de dados (armadilhas fotográficas, monitoramento com transmissores via GPS, estudo genético). As extensas informações ecológicas e genéticas coletadas sobre a onça-pintada e suas presas nos fornecerão o conhecimento da estrutura de suas populações e dos requisitos de habitat, além de como estabelecer tais requisitos em paisagens antropogênicas. Este será um componente chave para a viabilidade de longo prazo das onças-pintadas do Cerrado, e crucial para o estabelecimento do Corredor da Onça-Pintada do Araguaia. Sem o estabelecimento do corredor, as onças-pintadas do bioma Cerrado podem se extinguir em um futuro próximo, o que significa que perderemos uma linha genética formada ao longo de milhares de anos, que nunca poderá ser restabelecida se perdida.

Tese Associada:

Zanin, M. Distribuição da onça-pintada ao longo de uma paisagem antropizada: implicações para o manejo e conservação da espécie. Dissertação de Mestrado, Universidade Federal de Goiás. Início: 2008.

Adote uma onça-pintada.

Seja VoluntárioDoe Aqui