+55 (64) 3661-8026 | Instituto Onça-Pintada (IOP) jaguar@jaguar.org.br

Foto: Ricardo Leser

Projeto Apoiado Concluído

A Expansão Agrícola e os Mamíferos de Grande Porte do Cerrado

Instituição Responsável:
Centro de Biologia da Conservação, Universidade de Washington, Seattle, Estados Unidos.

Utilizando cães farejadores de fezes, este projeto investigou a distribuição de onças-pintada, onças-parda, tatus canastra, tamanduá-bandeira e lobo-guará na paisagem fragmentada da região do Parque Nacional das Emas.

Neste estudo, cães detectores de fezes foram utilizados em um estudo de distribuição de espécies raras, difíceis de serem observadas diretamente. Esse método, não-invasivo, foi desenvolvido pelo Centro de Biologia da Conservação da Universidade de Washington e também teve o objetivo de investigar o estado populacional e de saúde do lobo-guará na região, assim como a distribuição de outras espécies de mamíferos em uma paisagem fragmentada do Cerrado.

Entre os anos de 2006 e 2008, foram amostrados 800 km² no interior do Parque Nacional das Emas e 3300 km² em propriedades rurais do entorno, para localização de fezes de onça-pintada, onça-parda, lobo-guará, tatu canastra e tamanduá-bandeira. Os pontos de localizações de fezes foram relacionados com uma base de dados espaciais desenvolvida nesse projeto. Das fezes, extraiu-se o DNA para a confirmação da espécie, identificação de sexo e indivíduo. Para avaliar o nível de estresse, estado nutricional e a saúde reprodutiva das populações, mediu-se a concentração de hormônios nas fezes. Foi possível também uma análise da dieta e pesquisa de endoparasitos.

Os resultados preliminares mostram que todas as espécies focais ocorrem tanto no PNE quanto no entorno, sendo que as onças-pintadas encontram-se mais restritas ao entorno imediato do Parque. Os lobos-guarás, por sua vez, utilizam muito a região do entorno e apresentam uma dieta mais variada no interior do parque. Durante a pesquisa de endoparasitas, realizada por Mike Kinsella, colaborador do projeto, foi possível identificar 13 espécies. Vestígios de tatu canastra (veja também Projeto Ecologia e Conservação do Tatu Canastra), foram encontrados em habitat antropizado, porém, não mais distantes do que 100 m do habitat natural. O conjunto de informações, coletadas neste estudo, está sendo analisado e mostrará como a abundância, distribuição e saúde fisiológica das espécies estudadas, variam na paisagem fragmentada do Cerrado, da região do Parque Naciobal das Emas.

Teses associadas:

Vynne, C. Connectivity conservation and wide-ranging mammals: landscape matrix composition affects the distribution and physiological health of six mammals in the Cerrado of Brazil. Tese de Doutorado, University of Washington, Seattle. Início: 2004.

Leia mais sobre esse assunto:

Furtado, M. M., Carrillo-Percastegui, S. E., Jácomo, A. T. A., Powell, G., Silveira, L., Vynne, C., and Sollmann. Studying Jaguars in the Wild: Past Experiences and Future Perspectives. Cat news Special Issue 4, 41-47.

Silveira, L.; Jácomo, A. T. A.; Furtado, M. M.; Tôrres, N. M.; Sollmann, R.; Vynne, C. 2009. Ecology of the giant armadillo (Priodontes maximus) in the grasslands of central Brazil. Edentata, in press.

Adote uma onça-pintada.

Seja VoluntárioDoe Aqui