Ecologia Comparada e Conservação da Onça-Pintada e Onça-Parda no Cerrado e Pantanal

O projeto comparou o uso de habitat, dieta, área de vida e padrão de atividade entre onças-pintadas e onça-pardas no Parque Nacional das Emas e no Pantanal.

Esse estudo foi realizado no Parque Nacional das Emas-GO, Parque Estadual do Cantão-TO, Corredor Cerrado-Pantanal em MS/MT e no Pantanal do Rio Negro, com o objetivo principal de comparar a ecologia da onça-pintada e onça-parda quanto aos aspectos da área de vida, uso de habitat, dieta e padrão de atividade através do uso de armadilha fotográfica, radio-telemetria e análise de fezes.

De acordo com os resultados, a onça-pintada apresentou padrão de atividade crepuscular-noturno, preferência por ambientes de floresta e Cerrado e consumo principalmente de espécies de presas de grande porte. A espécie mostrou-se altamente sensível a perturbações antrópicas, e sua permanência nas áreas de estudo esteve diretamente relacionada à abundância de suas principais presas. A onça-parda foi mais tolerante às atividades antrópicas, ocorrendo em maior abundância nas áreas estudadas e utilizando mais os habitats de acordo com a sua disponibilidade do que a onça-pintada. A espécie também apresentou padrão de atividade crepuscular-noturno, porém tende a ser mais noturna que a onça-pintada. Em relação à alimentação, consome presas menores do que a onça-pintada.

Tanto a onça-pintada, quanto a onça-parda causam impactos negativos ao rebanho doméstico. No Pantanal, o maior problema é atribuído à onça-pintada, e na região do Cerrado, no Parque Nacional das Emas, a onça-parda é responsável pela maior parte da predação. As duas espécies dependem de conexões naturais entre as Unidades de Conservação do Cerrado e Pantanal para manterem populações geneticamente viáveis.

Leia mais:

Silveira, L. 2004. Comparative ecology of the jaguar (Panthera onca) and puma (Puma concolor) in the Cerrado and Pantanal. Ph.D. thesis, University of Brasília, Brasília, Brazil. 240p (in Portuguese).

Fotos