+55 (64) 3661-8026 | Instituto Onça-Pintada (IOP) jaguar@jaguar.org.br

Foto: Ricardo Leser

Projeto do IOP Concluído

O Queixada (Tayassu pecari) na Região do Parque Nacional das Emas

Realizado no Parque Nacional das Emas, este estudo teve como objetivo conhecer a ecologia, avaliar a situação de conservação do queixada e propor estratégias de manejo para a espécie na região.

Os queixadas (Tayassu pecari) vivem em grupos de até 300 indivíduos e são espécies importantes na manutenção dos ecossistemas, tanto como predador, quanto como dispersor de sementes. São conhecidos pelos agricultores do entorno do Parque Nacional das Emas (PNE) como “animal praga”, devido aos danos que causam às lavouras de milho e muitas vezes, são abatidos em retaliação a esse prejuízo. Este conjunto de projetos, realizados de 2000 a 2004, teve como objetivo, conhecer a ecologia e avaliar a situação de conservação do queixada na região do PNE, para propor estratégias de manejo a sua população local.

No projeto “Ecologia, Manejo e Conservação do Queixada (Tayassu pecari), no Parque Nacional das Emas e em Propriedades Rurais do seu Entorno”, 532 queixadas de 16 grupos distintos foram capturados. Através da técnica da radio-telemetria, 13 grupos foram monitorados, fornecendo a estimativa de uma área de vida média de 52,29 km². Os animais mostraram-se mais ativos no final da tarde e à noite, alternando a utilização de fragmentos de Cerrado e lavouras. Para avaliar os danos que a espécie causa, foi implementado o projeto “Impacto de Queixadas em Produções Agrícolas do Entorno do Parque Nacional das Emas”. Dentro deste projeto, observou-se que os queixadas predaram, principalmente, plantações de milho e soja, causando onerosos prejuízos aos agricultores. Como medidas de manejo desse conflito, foram propostos o uso da cerca elétrica para diminuir esses danos e a criação comercial do queixada, onde animais são extraídos de vida livre para formar o plantel inicial, tornando a espécie uma possível fonte de renda para o agricultor.

Através de análises de amostras de sangue coletadas na captura, foi realizado o projeto “Estrutura Genética e Populacional de Queixada em Fragmentos de Cerrado no Entorno do Parque Nacional das Emas”. Encontrou-se uma diferenciação genética entre os grupos de queixada, embora a vida em proximidade.

Sendo uma das principais espécies presas da onça-pintada, o estudo da população de queixada auxilia na conservação da onça-pintada na região do Parque Nacional das Emas.

Leia mais:

Jácomo, A. T. A. 2004. Ecologia, manejo e conservação do queixada Tayassu pecari no Parque Nacional das Emas e em propriedades rurais de seu entorno. Tese de Doutorado, Universidade de Brasília, Brasília, 120p.

Adote uma onça-pintada.

Seja VoluntárioDoe Aqui