+55 (64) 3661-8026 | Instituto Onça-Pintada (IOP) jaguar@jaguar.org.br

Foto: Ricardo Leser

Projeto Apoiado Concluído

A Utilização da Paisagem Fragmentada por Mamíferos de Médio e Grande Porte e sua Relação com a Massa Corporal na Região do Entorno de Aruanã, GO

Instituição Responsável:
Laboratório de Ecologia Teórica e Síntese, Instituto de Biologia da Universidade Federal de Goiás.

O estudo, com armadilha fotográfica, mostrou a importância de fragmentos florestais, localizados em propriedades particulares, para a conservação da fauna mamífera do Cerrado. A área de estudo faz parte do Corredor de Biodiversidade do Rio Araguaia.

A fragmentação de habitat, ocasionada por ações humanas, é a principal ameaça para a biodiversidade no bioma Cerrado, mas cada espécie se comporta de forma distinta a este processo. Com o intuito de avaliar a distribuição de mamíferos de médio e grande porte (maior que 1 kg), em uma paisagem fragmentada do Cerrado, utilizamos armadilhas fotográficas em fragmentos florestais no entorno da cidade de Aruanã, Goiás, localizada dentro dos limites do potencial Corredor de Biodiversidade do Rio Araguaia. Para este estudo, levantaram-se as seguintes hipóteses: a) fragmentos maiores, possuem uma maior riqueza de espécies; b) espécies de tamanho corporal maior, são menos afetadas pela fragmentação, por causa da maior habilidade de dispersão e; c) essas mesmas espécies encontram-se distribuídas de forma mais homogênea na paisagem.

Os resultados mostraram que, 19 espécies de mamíferos de médio e grande porte ocorrem na área de estudo, sendo as mais frequêntes: o quati, a anta, o tamanduá-bandeira e a jaguatirica. Como esperado, áreas maiores se mostraram mais ricas. Porém, ao contrário da hipótese inicial, espécies maiores, dentre elas a onça-pintada e a onça-parda, demonstraram serem mais sensíveis ao efeito da fragmentação, sendo restritas a fragmentos de maior tamanho. Somente a anta se distribuiu de forma homogênea na paisagem, encontrada em fragmentos de habitats de vários tamanhos.

Os resultados deste estudo, demonstraram a importância da manutenção de fragmentos florestais, em propriedades particulares, para a conservação da biodiversidade do Cerrado. Também, registros de espécies ameaçadas, como a onça-pintada, reforçam a importância da implementação do corredor de Biodiversidade do Rio Araguaia, como estratégia de conservação da paisagem e conexão de populações fragmentadas.

Leia mais sobre esse assunto:

Calaça, A. M. 2009. A utilização da paisagem fragmentada por mamíferos de médio e grande porte e sua relação com a massa corporal na região do entorno de Aruanã, Goiás. Dissertação de Mestrado, Universidade Federal de Goiás, Goiânia

Adote uma onça-pintada.

Seja VoluntárioDoe Aqui